Governo do Estado de Mato Grosso do Sul

‹ Voltar

Sol e programação inclusiva – Festival de Inverno de Bonito na manhã de domingo encanta quem participa

  • 28 jul 2019
  • Categorias:Geral

Bonito (MS) – Enquanto parte do público do Festival de Inverno de Bonito descansa dos shows que ocorreram na noite passada, acompanhamos na manhã deste domingo (28 de julho) centenas de pessoas nas ações de cinema, literatura e educativas que ocorreram na Praça da Liberdade e na Câmara Municipal.

O sol trouxe o bem-vindo calor de volta e o Festival de Inverno de Bonito presenteou os participantes – crianças, educadores e interessados em literatura – com uma programação leve, dinâmica e inclusiva, tanto no Lounge Educativo e Literário Flora Thome como na Câmara.

Com a participação de 53 pessoas, entre palestrantes, educadores e interessados pelo tema, o Café Filosófico abordou o tema “A importância do debate cultural e a visibilidade das artes proporcionadas pelo 20 anos do Festival de Inverno de Bonito”. Participaram da mesa-redonda os ativistas culturais Kelvin Vargas, A. C. Silveira Soares, Fernanda Teixeira, Fernanda Reverdito, Edna Scremin Dias, Vali Pott e Paulo Robson.

Já o Lounge Gastronomico foi palco de duas oficinas desenvolvidas especialmente para os pequenos. A chef Ana Oliveira atendeu em duas oportunidades crianças de 6 a 9 anos e de 10 a 14 anos, que deram seus primeiros passos nesta arte e iniciaram uma relação de amor com a culinária.

A sessão de cinema acessível levou ao plenário da Camara Municipal o filme Teu mundo não Cabe nos meus olhos, que contou com de legendas descritivas, audiodescrição e LIBRAS, atendendo a pessoas com deficiência com um longa emocionante.

O filme conta a história de Vitório, cego de nascença, dono de uma pizzaria herdada por seu pai no tradicional bairro do Bixiga, em São Paulo. Considerado famoso por oferecer a melhor pizza dos arredores, vive feliz com a mulher Clarice e a filha Alícia e sente que superou todas as dificuldades da cegueira e que deu a volta por cima. Mas, ao descobrir que existe a possibilidade de enxergar, Vitório inicia um conflito consigo mesmo e vai precisar tomar uma grande decisão.