Governo do Estado de Mato Grosso do Sul

‹ Voltar

Simpósio Estadual e Seminário Municipal promovem a valorização do patrimônio material e imaterial

Campo Grande (MS) – Uma semana de imersão sobre a importância do Patrimônio Cultural, com destaque para a preservação e zeladoria. Este é o resumo do “XI Simpósio Estadual de Educação Patrimonial”, realizado entre os dias 16 e 20 de agosto de 2021, em Campo Grande.

O Simpósio Estadual, já em sua 11ª edição, é organizado anualmente pela Fundação de Cultura de MS, por meio de sua Gerência de Patrimônio Histórico e Cultural na segunda quinzena do mês de agosto, em comemoração ao Dia Nacional do Patrimônio Cultural, celebrado no dia 17 de agosto, data do nascimento de Rodrigo Mello Franco, primeiro presidente do IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).

Realizado de maneira híbrida, com participantes presentes, respeitando os protocolos de biossegurança, a iniciativa foi transmitida pela internet, atravessando as barreiras e levando conhecimento e convidando os participantes a uma verdadeira viagem cultural por meio on-line.

“O Simpósio mostrou que realmente estamos caminhando para a alta tecnologia. Foi surpreendente o número de acessos, o que comprovou que  o patrimônio cultural trabalha aliado à contemporaneidade”, relata o gerente de Patrimônio Histórico e Cultural da FCMS, Caciano Lima.

Para os participantes, o conhecimento foi amplo e o resultado dos dias de evento, positivo.

 “Este simpósio é muito importante, pois, trouxe conteúdo muito além do esperado. Já sabíamos da qualidade das palestras, mas está superior e estão todos os organizadores de parabéns”, avalia Joanita Amtella, professora e gerente do Patrimônio Histórico da Fundação de Cultura e Patrimônio Histórico de Corumbá, que participou do evento.

Corumbá – Com sua arquitetura e cultura local amplamente aliada à preservação patrimonial, Corumbá – município mais antigo e histórico do Estado, será sede da continuação do evento, por meio do “I Seminário Municipal do Patrimônio Cultural de Corumbá”, realizado entre os dias 23 e 26 de agosto.

Com o tema Entre Guerras e Bênçãos: A Construção do Patrimônio Cultural Corumbaense”, o I Seminário Municipal do Patrimônio Cultural de Corumbá fortalece a importância dos patrimônios culturais Forte de Coimbra e Banho de São João.

“Corumbá é uma festa por si só e a cidade agrupa muitas manifestações culturais, sejam elas do patrimônio edificado ou do patrimônio imaterial e, vamos conseguir apresentar, por meio desta ação, o que é um grande festival, mas em cápsulas do nosso patrimônio cultural de MS, levando parte de Campo Grande para lá, assim como Corumbá trouxe parte da cidade para a Capital durante o Simpósio”, finaliza Caciano Lima.

A cidade que ‘respira’ história e cultura terá sua identidade cultural valorizada e fortalecida por meio deste seminário, como avalia o diretor-presidente da Fundação de Cultura e Patrimônio Histórico de Corumbá, Joilson Silva da Cruz.

“O patrimônio está no tangível, mas também no intangível, na história de um povo, no seu jeito de ser e de compreender o mundo”, avalia.

As inscrições para o I Seminário Municipal do Patrimônio Cultural de Corumbá” podem ser feitas pelo link bit.ly/SimpósioPatrimônioCultural2021

 Programação em Corumbá

Em sua abertura (23/08) o evento vai contar com a apresentação de Viola de Cocho com professora da Rede Municipal e Estadual de Ensino, Leidiane Garcia, e seus alunos. Na palestra “Elaboração do Dossiê de Registro do São João”, José Gilberto Rozisca, vai demonstrar como aconteceu todo o processo de registro do Banho de São João de Corumbá e abordará sobre os festeiros, a fé, a diversidade de religiões, entre outros assuntos. No mesmo dia será exibido o vídeo-documentário “Filhos de Coimbra”, haverá a palestra: O Forte Coimbra e seu contexto Histórico Paisagístico com o pesquisador Fabio Almeida e o lançamento do livro “Prática de Salvaguarda do Forte Coimbra”, que terá a mediação da Presidente do Conselho Municipal de Política Cultural de Corumbá, Marcelle de Saboya Ravanelli.

Destaque para a chegada solene da imagem de Nossa Senhora do Carmo, que há mais de uma década não era levada à cidade.

No dia 24 , a imagem de Nossa Senhora do Carmo chega à cidade às 7h30 e em seguida, haverá bênçãos e procissão até o Muphan. O dia de atividades será ainda de vivências de educação patrimonial na Praça da República, Ladeira Cunha e Cruz e no Muphan.

Na Ladeira Cunha e Cruz aconteceu o final da Guerra do Paraguai, e é o ponto alto dos festejos do Banho de São João com as descidas dos andores pela ladeira. Na ocasião a arquiteta Joanita Ametlla falará sobre a praça da república e seu entorno, uma das regiões mais importante para o patrimônio cultural de Corumbá, pois reúne importantes prédios históricos como a primeira igreja do Estado de Mato Grosso, a Matriz Nossa Senhora da Candelária, o primeiro grupo escolar de Corumbá, conhecido como ILA, o primeiro mercado municipal, onde hoje é o lugar das Lojas Americanas e sobre o Obelisco. A historiadora Ramona Ortiz vai contextualizar a ocupação do Casario do Porto, uma área que era estritamente comercial. Em seguida acontece um cortejo com uma banda até o Porto Geral de Corumbá com Banho de São João, onde haverá também o levantamento do mastro com mestres cururueiros e uma roda de siriri.

O evento terá ainda a abertura oficial do III Festival de Viola de Cocho de Corumbá que reproduzirá vídeos nas escolas municipais onde se trabalhará de diversas formas as práticas relacionadas ao modo de fazer a viola-de-cocho, além da Cozinha Show que detalha a história e o processo de produção gastronômica do sobá, prato tão importante para a cultura campo-grandense, registrado como Patrimônio Cultural campo-grandense desde 2006, e que também foi eleito em votação de 2018 como o “Prato Típico de Campo Grande”.

A Cozinha Show contará com a presença de Helcio e Marlei Kohagura, casal que produz massa para preparo do sobá okinawano/campo-grandense.

Já no dia 25, ocorre às 8h e às 14h, o III Festival de Viola de Cocho de Corumbá, com Oficinas de mini viola de cocho e de Siriri. Será realizada ainda Cozinha Show, com degustação de pastel de torresmo de piranha e rondelli com castanha de bocaiuva, às 8 horas. No período vespertino, às 14 horas, acontece a oficina com degustação de peixe à urucum e panna cota de bocaiuva.

No dia 26 de agosto, às 8 horas, a Cozinha Show traz oficina com degustação do macarrão de comitiva. Já às 14 horas, a oficina será de saltenha e refrigerante de mate chimarrão.

Mais detalhes também no Facebook/fcphcorumbá e Instagram @fcph.c.

Texto: Elci Holsback

Foto de capa: Ricardo Gomes

Publicado por: Karina Medeiros de Lima