Governo do Estado de Mato Grosso do Sul

‹ Voltar

Rodada de negócios organizada pela Fundação de Cultura estimula promoção do artesanato

Campo Grande (MS) – Com a participação de artesãos de diferentes entidades representativas, acontece nesta quarta (2 de agosto) no Memorial da Cultura uma rodada de negócios que busca aproximar os artistas e lojistas, promovendo novos acordos comerciais e oportunidades. O evento é uma realização da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, com parceria da Associação para o Comércio do Artesanato Brasileiro (AsCabras) e o Sebrae.

A rodada de negócios é uma oportunidade dos artesãos se aproximarem de revendedores diretos, cortando intermediários e ampliando as margens de vendas e de lucros. Também amplia a rede de vendas das peças sul-mato-grossenses, levando a nossa arte a mais pontos e a um público mais amplo.

Parte das ações executadas pela AsCabras – grupo de lojistas que trabalha em conjunto para criar ações que visam incrementar e desenvolver o mercado de arte popular e artesanato brasileiros – a rodada é um dos mecanismos que estimulam os processos de compra e venda de produtos e reunir os diversos agentes que atuam neste segmento.

Foto: Marcio Breda

A participação de lojistas e artesãos se dá por convite e apresenta as lojas mais interessantes e descoladas do Brasil. Como formadoras de opinião que são, levam ao mercado o que existe de melhor na produção artesanal brasileira.  O portal facilita a divulgação dos pontos de comercialização para o mercado consumidor.

O Artesanato de Mato Grosso do Sul retrata nossos costumes, tradições e diversas referências culturais. São peças produzidas com matérias primas presentes em nosso Estado e que manifestam a criatividade e a identidade cultural do povo sul-mato-grossense.

As peças emergem temas referentes ao Pantanal, às populações indígenas, ao intercâmbio cultural favorecido pelas fronteiras com Paraguai e Bolívia, bem como pelo movimento migratório de várias partes do país e do mundo.

Foto: Marcio Breda

Os recursos naturais abundantes são traduzidos em peças de madeira e fibras vegetais que se transformam em abajures, bandejas, luminárias, fruteiras, cestos, além de trabalhos em cerâmica como utensílios domésticos e esculturas cujas imagens marcam fortemente a nossa identidade numa linguagem diferenciada e surpreendente.

Também elementos que fazem parte de um cenário mais regional, como o pilão, gamelas, cabaça, bancos, carro de boi e trabalhos em couro são perpetuados pelas mãos hábeis de grandes artesãos do Estado e apreciados por pessoas de todas as partes do mundo que visitam esse tipo de evento.

Serviço: O Memorial da Cultura fica na Avenida Fernando Correa da Costa, 559, no Centro.