Governo do Estado de Mato Grosso do Sul

‹ Voltar

SECTEI divulga relação de pareceristas credenciados

Campo Grande (MS) – A Secretaria de Estado de Cultura, Turismo, Empreendedorismo e Inovação (SECTEI) publicou no Diário Oficial de hoje (2) o resultado do edital do chamamento público para o credenciamento de pareceristas que irão avaliar projetos que passarão por seleção para o recebimento de recursos do governo estadual na área da cultura. Os pareceristas aprovados darão início à sua função já no próximo dia 15 de dezembro, quando a Sectei fará o lançamento de editais direcionados para 4 setoriais culturais e também do esperado edital do Fundo de Investimentos culturais de Mato Grosso do Sul (FIC-MS).

De 80 profissionais que fizeram inscrição, 76 inscritos foram credenciados e no início de janeiro farão um treinamento para tomarem conhecimento das legislação cultural de Mato Grosso do Sul, sua história e desenvolvimento além de entender as especificidades de cada edital lançado. “Nesta seleção levamos em conta a experiência artística, a experiência em análise de projetos culturais e também a formação acadêmica de cada inscrito. Aqueles que tiveram a maior pontuação já começarão a avaliar nossos editais, explicou Ricardo Maia, o superintendente do Fundo de Investimentos Culturais de MS. Segundo ele, este novo processo de seleção de editais, que está amparado no trabalho de pareceristas vêm qualificar a escolha dos projetos financiados pelo governo estadual por meio de relatórios que justificarão as aprovações ou não dos projetos propostos pela sociedade sul-mato-grossense e deverão contribuir efetivamente com as diretrizes da política cultural do Estado que está prevista no Sistema Estadual de Cultura de Mato Grosso do Sul.

Três parecerista julgarão o mérito de cada projeto, porém é o Conselho Estadual de Cultura é quem tomará a decisão final dos projetos selecionados por cada edital, após avaliar se os setoriais e municípios foram atendidos em conexão com a política cultural de MS.”Desta forma estamos dando iníco a um nova forma de gestão cultural na qual o assistencialismo e a troca de favores sai de cena e entra a discussão dos projetos nos setoriais de cada área cultural com a averiguação dos resultados. Os colegiados setoriais sempre serão consultados antes do lançamento de cada edital da SECTEI que serão definidos conforme a necessidade de cada área”, finalizou o superintendente.