Governo do Estado de Mato Grosso do Sul

‹ Voltar

O castelinho é um patrimônio de todos

  • 11 maio 2016
  • Categorias:Geral

 

Esse foi o ponto central das discussões durante uma audiência pública realizada pela Secretaria de cultura, turismo, empreendedorismo e inovação do Estado (Sectei), na tarde dessa terça-feira (10) no Anfiteatro da Câmara Municipal de Ponta Porã. As sugestões apresentadas vão nortear as próximas etapas para restauro do prédio histórico, tido como um dos dez mais representativos de Mato Grosso do Sul. Estiveram presentes representantes de entidades culturais e instituições de ensino, além de artistas e entusiastas da arte, cultura e história da fronteira entre Ponta Porã (BR) e Pedro Juan Caballero (PY).
O prefeito de Ponta Porã Ludimar Novais (PDT) fez a abertura oficial da audiência pública, enaltecendo a importância do resgate histórico do Castelinho, como forma de preservar a memória cultural da fronteira.
“O Castelinho faz parte da nossa história, muitos fatos marcantes e acontecimentos ocorreram nesse prédio histórico.O restauro do castelinho é um anseio e desejo da nossa população.”
Logo no início da reunião, o responsável técnico do IPHAN, João Henrique dos Santos, e o professor e historiador, Yhulds Giovani Bueno, apresentaram informações importantes sobre patrimônio histórico e o processo de tombamento.

13151423_1781089912119874_837912762620760752_n

O secretário de Cultura, Turismo, Empreendedorismo e Inovação de Mato Grosso do Sul, Athayde Nery, presidiu a audiência pública afirmando que é uma das etapas previstas no processo para restauro do Castelinho. “Estamos satisfeitos com a audiência pública do Castelinho, ocorrida em Ponta Porã. O nível do debate demonstra a preocupação responsável dos diversos segmentos da sociedade civil organizada, com esse importante símbolo histórico de Mato Grosso do Sul” frisou Athayde, ressaltando que “ouvir a população é essencial, para que a etapa de restauro possa atender o desejo da comunidade local e possamos realizar um trabalho transparente de democrático”.
Dentre as sugestões apresentadas pelos presentes para a destinação do Castelinho, a que ganhou mais força foi a da criação de um museu de história da fronteira, um espaço moderno, interativo , que conquiste principalmente o jovem.
A presidente da Fundação da Cultura de Ponta Porã , Gisele Flor, disse que a entrega do Castelinho restaurado já é uma grande conquista, mas que o destino enquanto museu ou espaço cultural, possa ser algo que a população utilize de forma diária, com constante atividades e com profissionais capacitados para manutenção do prédio histórico e suas funções.

com informações da FUNDAC/ Ponta Porã