Governo do Estado de Mato Grosso do Sul

Marco – III Temporada de Exposições 2015

Setembro a Novembro

A mostra, O Grande Espaço, desenhos da artista Alessandra Mastrogiovanni trata-se de uma série de desenhos pautada na linha como grande protagonista em que figuras e espaço se confundem. A artista deixa-se guiar pelo estímulo que o objeto observado provoca fazendo do ato de desenhar puro êxtase em direção ao desconhecido. “As obras, a partir da concepção de um emaranhado de linhas, sem aparente início ou fim, vão construindo um esqueleto de arame vazado por onde o ar circula e o conceito do espaço único, o grande vazio se forma aliado à busca incessante do Homem em querer abraçá-lo!” segundo a artista. A série de desenhos de Alessandra é um convite para apreciarmos a leveza e a elegância dos traços e ao mesmo tempo um questionamento acerca desse Grande Espaço à nossa volta, que pode ser encontrado inclusive dentro de nós.

A coletiva de pinturas, Uma Temporada na Baía Vermelha – Serra do Amolar, dos artistas Alex Cerveny, Ernesto Bonato, Marina Faria e Ulysses Bôscolo, apresenta os quinze dias vivenciados em junho de 2014, em que os artistas experimentaram a convivência com a paisagem e os habitantes da Serra do Amolar intercalando caminhadas, cavalgadas e passeios de barco pela Baía Vermelha, Lagoa Mandioré e meandros do Rio Paraguai com o trabalho em um ateliê improvisado na fazenda Santa Tereza (cenário para as sessões de desenhos e pinturas demarcando ali novas fronteiras poéticas em suas trajetórias). A história da arte principalmente a brasileira é recheada por vários exemplos de artistas viajantes. Muitas missões foram pontuadas por registros em desenhos, aquarelas, gravuras, cartas e fotografias. O objetivo desta exposição é compartilhar a produção realizada de locais ainda pouco conhecidos do nosso do país.

Mural dos Desejos ou Emergência dos Sonhos, de Angela Miracema, traz ao público a visualidade elaborada por intermédio da técnica da colagem de recortes de revistas, jornais, papeis diversos, tecidos, objetos, entre outros; “proposições de estruturas cenográficas em que os sentidos fluem visualmente combinando-se com referências óticas e materiais disponibilizadas e consumidas em nosso cotidiano” segundo Rafael Maldonado, professor no curso de Artes Visuais da UFMS. As sobreposições de imagens recortadas e coladas delicadamente pela artista se transformam em verdadeiros murais de sonhos e desejos que prometem envolver o visitante.

A mostra, Frontera, do artista plástico Julio Cezar Alvarez, apresenta uma retrospectiva das pinturas do artista considerado porta-voz do intercâmbio cultural entre Mato Grosso do Sul e nosso país vizinho o Paraguai. A exposição demonstra que para a arte não existem fronteiras e que ela pode ser instrumento transformador capaz de dissolver qualquer mácula histórica como também ser espelho revelador dos traços que unem os dois países. “Julio é um artista que contribuiu na alma e na essência de nossa formação sócio-política e também para a consolidação da união cultural com a América do Sul”, segundo o artista plástico Humberto Espíndola. Por meio das cores de suas telas carregadas de dramaticidade é possível ver o reflexo tanto da cultura de sua terra natal como os laços que unem os países hermanos.