Governo do Estado de Mato Grosso do Sul

‹ Voltar

Lucy Alves encerra programação do Fasp 2019 com canções vibrantes que agitaram o público

Corumbá (MS) – O 15º Festival América do Sul Pantanal foi encerrado em grande estilo com o pop romântico e raízes nordestinas da paraibana Lucy Alves. A multi-instrumentista trouxe para o Palco Integração, na noite de altas temperaturas deste domingo, 17 de novembro, canções nordestinas já bem conhecidas do público e músicas de sua nova fase.

A cantora faz questão de nunca abandonar suas raízes. “Eu falo sempre de amor nas minhas músicas, mas meu jeito de cantar, minhas raízes, estão aí, nunca estão fora da minha música. Agora estou numa fase autoral, com muita coisa boa, sem perder a identidade”.

O novo show “Amor de Ouro” é a sequência do trabalho que a artista prepara para o álbum que sai até o final do ano, cheio de composições próprias. “A música traz uma levada bem moderna, com uma batida envolvente, mas, que não deixa de lado muito da minha cena, do meu trabalho, da minha característica de multi-instrumentista, na música do meu Nordeste. Estou amando falar de amor e tolerância, com esse linguajar cotidiano que aproxima de todo mundo”.

A artista está na cidade deste sábado (18) e disse no camarim, antes do show, estar se sentindo “em casa”. “Todo mundo é muito solícito, aqui é um lugar especial, pela fauna e flora do pantanal. Para mim é muito importante me apresentar neste Festival que já é consolidado nos seus 15 anos de existência, um encontro de culturas, de trocas, estou muito feliz em estar aqui. Vocês são muito especiais. Eu sinto o amor das pessoas, fui muito bem recebida por pessoas de histórias especiais. Um abraço, uma palavra, a gente sempre leva algo muito especial do lugar que visitamos. O calor aqui é forte. Quando vi aquela fonte, aquela água jorrando do solo, não aguentei, tive que me banhar junto com as pessoas”.

Antecedendo o show de Lucy Alves, o cantor Guilé e talentosa banda apresentaram músicas autorais do artista aliadas com mensagens sociais. Para Guilé, é importante dar espaço e oportunidade para os músicos regionais: “É muito bom estar pela primeira vez aqui no Festival, me apresentando pra muita gente, é muito louco ter tanta gente pra nos ouvir, é legal ver a reação das pessoas. Hoje não me prendo muito a gêneros musicais, canto samba, reggae, maracatu. As mensagens que levo nos shows fazem parte do que acredito ser o papel da arte: é informação, é posicionamento. Tudo que eu quero falar é pela poesia, é algo natural nas minhas composições”.

Realizado com investimento público da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul e patrocínio da Energisa, Vale, Caixa Econômica Federal e Governo Federal, o 15º Festival América do Sul Pantanal (Fasp) acontece entre os dias 14 e 17 de novembro. A programação foi pensada para agradar a todos os gostos. E claro, tudo com entrada franca. Mais informações sobre o evento podem ser obtidas na nossa página (hom.fundacaodecultura.ms.gov.br) ou pelo telefone 3316-9109.

mais imagens em:http://www.festivalamericadosulpantanal.ms.gov.br/lucy-alves/

Texto: Karina Lima

Fotos: Marina Pacheco