Governo do Estado de Mato Grosso do Sul

‹ Voltar

Lojistas finalizam expedição que favorece negócios com artesãos de MS

  • 02 ago 2016
  • Categorias:Geral

Finalizando a “Expedição Bonito/Pantanal Mato Grosso do Sul do Artesanato”, realizada pela Fundação de Cultura do Estado em parceria com o SEBRAE, nove lojistas da As Cabras (Associação para o Comércio de Artesanato Brasileiro), estão em Campo Grande nesta terça-feira (2) para comprar e conhecer o artesanato local.

Nas últimas semanas eles estiveram em Jardim, Bonito, Bodoquena, Miranda, Corumbá, Anastácio, Aquidauana e Guia Lopes da Laguna, conhecendo não só as artes finalizadas, mas também o processo e o local de produção. “Senti uma emoção enorme ao visitar os locais de ofício. Teve um lugar que a primeira impressão parecia um açougue, pois faz artesanato com ossos de boi. Mas assim que vi a minuciosidade do processo e o resultado, aquilo se torna arte. As pessoas não imaginam quanto trabalho é necessário para transformar matéria-prima em arte”, ressalta Fernanda Figueiredo, de Belo Horizonte-MG, uma das fundadoras da Associação.

A lojista, Anny M. Darakjian, de São Paulo-SP, conta que estar no ambiente cultural dos artesãos é ainda mais atraente: “Encontrei muito mais coisas boas do que imaginava. Uma expedição é diferente de rodada de negócios. Estamos envolvidos na viagem, imersos na emoção que a cultura local produz. Não tem como definir o que me chamou mais a atenção, mas as artes indígenas do MS como as kadiwéu e terena e as redes de couro em Bonito me deixaram admirada”, disse Anny.

Entre observações e elogios, os lojistas acreditam que o mercado do artesanato de Mato Grosso do Sul tem um enorme potencial, mas para eles é preciso aumentar a produção: “Vimos que aqui tem um mercado em expansão com excelente qualidade e tem gente pra comprar. É preciso ampliar esse mercado. O mestre tem que ser motivado a passar o conhecimento para outras pessoas e assim aumentar a fabricação”, destaca Fernanda.
Quanto ao conselho, o artesão João Aldo Carneiro, famoso por lapidar chifres e ossos responde: “O processo artesanal é muito diferente do industrial, não podemos produzir tudo de uma só vez, é necessário valorizar nossa paciência”, argumentou.

A gerente de Desenvolvimento de Atividades Artesanais da Fundação de Cultura, Katienka Klain acredita que o contato direto dos artesãos com os comerciantes é importante para a valorização do artesanato por parte do lojista: “Trouxemos eles até aqui, ajudamos na logística, mas a venda e a interação dependem somente deles. Essa aproximação é o que há de mais benéfico para ambos os lados”, diz Katienka.

“As Cabras” é um grupo de lojistas criado em 1998 com sede em São Paulo e que trabalha em conjunto para criar ações que visam incrementar e desenvolver o mercado de arte popular e artesanato brasileiros por meio de mecanismos que estimulem os processos de compra e venda de produtos através de um portal que reúne os diversos agentes que atuam neste segmento.

Participam desta expedição as lojas Xapuri Produtos Artesanais (Belo Horizonte / MG), Fuchic (São Paulo, Barueri e Guarulhos / SP), Casa de Ana (Florianópolis / SC), Meu Móvel de Madeira (Rio Negrinho / SC), Arunã (Rio de Janeiro / RJ), Atelier na Rua (Ribeirão Preto / SP), Sambaki (Sorocaba / SP), Galeria Arte Brasileira (São Paulo / SP) e Casa do Brasil (Ribeirão Preto / SP).

A estimativa é que a associação comercializou cerca de 100 mil reais nas cidades em que a expedição passou.

Leia mais: Expedição de lojistas favorece negócios com artesãos de MS

Foto Edemir Rodrigues (2)

Foto Edemir Rodrigues (3)

Foto Edemir Rodrigues (6)

Foto Edemir Rodrigues (7)

Foto Edemir Rodrigues (9)

Foto Edemir Rodrigues (12)

Foto Edemir Rodrigues (13)

Veja mais na galeria (Fotos: Edemir Rodrigues)