Governo do Estado de Mato Grosso do Sul

‹ Voltar

Guga Borba e Diovibe atraem público eclético para o Som da Concha no último domingo

  • 25 jul 2016
  • Categorias:Geral

Campo Grande (MS) – A eclética platéia da Concha Acústica Helena Meirelles, na noite de ontem (24), apreciou de perto o mais novo trabalho “7° Satélite”, do músico Guga Borba que tocou ainda as canções mais conhecidas de sua carreira. O show foi aberto pela banda de rock corumbaense Diovibe, que numa performance descontraída, conseguiu conquistar o público campo-grandense. “Nos apresentar neste projeto está sendo uma grande oportunidade para nossa banda. Foi um público bem maior do que estamos acostumados e demos um ponta pé inicial para a divulgação de nosso trabalho para além de Corumbá”, comemorou o  vocalista Maxwel Melo. Formada em 2015, a Diovibe apresentou em seu repertório as mais variadas vertentes do rock, como o rockabilly, hard rock e o metal moderno e músicas autorais.

O compositor Guga Borba dominou o palco e foi prestigiado por pessoas de todas as idades. “Sempre venho a este projeto porque gosto muito da arte em suas diferentes linguagens. Acho interessante que venham bandas do interior para dar um plus na sua carreira. O ambiente daqui é muito legal, de paz e harmonia”, afirmou Mirian Lange Noal, professora da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

som da concha-1352

Um dos pontos alto do show do Guga foi a interpretação da música Mochileira, de Geraldo Roca. “É muito bom estar aqui com os amigos, parceiros da música de MS, com pessoas que a gente ama muito e ainda apresentar meu novo trabalho. Eu gosto muito de tocar em casa”, afirmou o instrumentista. A fã do cantor, Lívia da Hora, levou os filhos Gabriel de 6 anos e Alice de 3, para curtir o fim de semana de forma musical. “Este projeto é legal porque iniciativas como essas não acontecem sempre e sendo gratuita, podemos trazer toda a família”, destacou.

O trabalho de Guga Borba, 7º Satélite, produzido pelo multi-instrumentista Antonio Porto, tem como concepção a música folk e timbragens diferenciadas em uma linha minimalista. Os ritmos variam do ternário para o quaternário sem compromisso, mas sem negar a influência fronteiriça em algumas canções. Guga iniciou a divulgação de seu novo trabalho, por meio da mídia espontânea e das redes sócias que foi bem aceito pelo público e pela crítica especializada.  O álbum foi disponibilizado para download no site Palco MP3 (https://www.palcomp3.com/gugaborba/ ), o maior portal da música independente do Brasil. Em dezembro foi contemplado com o Prêmio Palco MP3 – Mais acessado Folk – atingindo hoje a marca de 210.000 acessos, com 92 músicas disponíveis para download gratuito, gravadas ao longo de 25 anos de carreira.

“Gosto de fazer a nossa música e estar perto dos amigos. Existe um legado importante dos compositores mais antigos do que os da minha geração como Paulo Simões, Geraldo Roca, Geraldo Espíndola e que deixaram uma assinatura da música sul-mato-grossense, que é muito forte. Eu sou muito feliz em estar neste meio musical”, afirmou. Esta foi a primeira vez que Guga participou do Som da Concha com carreira solo.

som da concha-1275

Fotos: Daniel Reino