Governo do Estado de Mato Grosso do Sul

‹ Voltar

Festival Jazz e Viola une música de raiz e erudita em apresentações gratuitas no Centro Cultural

  • 25 nov 2015
  • Categorias:Geral

Campo Grande (MS) – Tradicionalmente aguardado pela boa música, o Festival Jazz e Viola chega a sua quarta edição no dia 2 de dezembro (quarta-feira) com apresentações musicais e oficinas culturais no Teatro Aracy Balabanian do Centro Cultural José Octávio Guizzo.

 

O Festival une mais uma vez as fronteiras entre as mais variadas tendências da música instrumental brasileira, encontros marcantes entre a raiz e o erudito, unindo a sutileza da viola caipira com o jazz, uma influência mundialmente estabelecida.

 

As atividades do 4º Festival Jazz e Viola começam às 9 horas com uma oficina de bateria ministrada pelo músico Marcus Loyola. A atividade, que tem investimento de R$ 10,00, acontece na sala de música do Centro Cultural José Octávio Guizzo.

 

As apresentações, que contam com entrada gratuita, começam às 20 horas. Se apresentam Marcos Assunção Trio, a Orquestra Camerata Violeira e contará com participações especiais de Paulo Simões (homenageado), Alvani Calheiros (trompete), Jaime Serejo (acordeom), Júnior Matos (saxofone), Sofia Maciel (flauta trasversal), Edson Verbinsk (violino), João Pedro (violino), João Paulo (clarinete), Flávio de Oliveira (violino), Gabriel Basso (contrabaixo), Marcus Loyola (bateria) e o projeto Orquestra Som das Águas.

 

O Festival Jazz e Viola conta com a direção de Marcos Assunção e apoio da Fundação de Cultura, Governo do Estado, Colméia Imóveis, Arte Viva, Associação Acomviola de MS, Dona Celeste, Centro Cultural José Octávio Guizzo, Fundac e Prefeitura de Campo Grande, Camisetas Erica, Estela Acessórios e Rádio Educativa 104 FM.

Foto: Rafael Tamazato

Foto: Rafael Tamazato

Conheça os artistas:

 

Marcos Assunção – Compositor, arranjador e produtor musical, é graduado em música pela UFMS. Ganhou reconhecimento nacional pelo Projeto Pixinguinha, em 2008, dentro do prêmio Produção (FUNARTE-RJ), onde gravou o CD instrumental “To Chegando” e um circuito. Em 2011 gravou o 2º CD instrumental “Eu, a viola e Eles” através do FIC – Fundos de Investimentos Culturais. Apresentou-se na, Universidade de Antofagasta – Chile, no Festival Tensamba em Madri e Barcelona – Espanha. Realizou turnê na Europa começando pelo I Festival de Jazz de La Laguna em Tenerife Norte – Espanha, onde dividiu palco com o baixista americano Gary Willis. Em 2015 participou do II Ciclos de Gitarra em Gran Canária e Lazarote em Tenerife Norte.

 

Alvani Calheiros – Trompetista do Quinteto Haendel, trompetista e contrabaixista da Banda de Música da Base Aérea de Campo Grande, músico e fundador do Sexteto Pantanal, que se apresenta em eventos da Base Aérea, arranjador. Participou de Masterclass com o trompetista Daniel Dias, também com os trompetistas renomados internacionalmente Daniel D’alcântara e Nailson Simões. Fez o curso de arranjos e improvisação e se apresentou com o saxofonista argentino Hector Costita no Painel Funarte de 2007. Apresentou-se com a banda Morena Jazz, junto com o maestro Josimar Raimundo e da orquestra Camerata Violeira.

 

Junior Matos – Saxofonista, compositor e arranjador, tem se destacado no cenário musical do Estado. Além do seu trabalho solo, pela forte influência do Jazz e da música brasileira, já participou de vários trabalhos de música instrumental em orquestras, quartetos e trios em festivais da capital e em outros Estados brasileiros. Tem se apresentado em importantes projetos como o “Crianceiras” – Manoel de Barros, ao lado do músico Márcio de Camilo e da Orquestra Camerata Violeira.

 

Gabriel Basso – músico compositor contrabaixista integrante da Banda Urbem (vencedora do Samsung Efestival instrumental 2015) onde desenvolve um trabalho de música contemporânea Brasileira, vem acompanhando diferentes artistas ao longo da sua carreira. Faz parte da Orquestra Camerata Violeira e do grupo Marcos Assunção Trio de música instrumental brasileira e também tem um trabalho com o duo Andrade & Basso (guitarra e Contrabaixo acústico) onde apresenta algumas de suas composições.

 

Sofia Maciel – Tocando Flauta Transversal, participou da Orquestra Sinfônica de Montes Claros (regência: Maria Lucia Avelar), Orquestra do Clube Pinheiros – SP (regência: Murilo Alvarenga), SCOR – Sociedade Coral e Orquestra Clássica de MS (regência: Vitor Diniz), Orquestra de Câmara do Pantanal (regência: João Guilherme Ripper), Percussão BojoMalê e Instrumental Arte Viva, além de concertos do Instituto Brincante com a Orquestra de Heliópolis (SP) e Festivais de Inverno de Bonito e Três Lagoas.

 

Marcus Loyola – Formado pelo conservatório musical de Campo Grande e aluno do curso de música da UFMS, é baterista do Marcos Assunção Trio, da banda Graça e Honra e da dupla Léo e Daniel Freitas, professor de bateria e teoria musical.

 

Paulo Simões – Original e Marcante. Assim é a música e a trajetória de Paulo Simões. Carioca, optou por residir em Campo Grande, onde passou parte da adolescência descobrindo amigos e futuros parceiros, como os irmão Espíndolas, Geraldo Roca e Almir Sater. Transitando entre Rio, São Paulo, Campo Grande e Pantanal, – onde gosta de pescar e compor – Paulo Simões vem reunindo um numero significativo de admiradores para seu trabalho. Intérpretes como Michel Teló, Sérgio Reis e Renato Teixeira, entre outros, além do parceiro Almir Sater, contribuinte para tornar suas canções nacionalmente.

 

Orquestra Som das Águas – Projeto Formado em 2013 que oferece oficinas gratuitas aos jovens e adolescentes. As oficinas são de violino, violoncelo, viola caipira em algumas localidades da capital, como Jardim Noroeste, Novo Maranhão, Mata do Jacinto e Centro Cultural José Octávio Guizzo.

 

Orquestra Camerata Violeira – Foi formada em 2012 e atualmente é uma orquestra que assume a nossa identidade sul-mato-grossense e traz um trabalho inédito com composições e arranjo novos trazendo uma linguagem autêntica, fazendo com que isso seja um diferencial das orquestras tradicionais. A procura para novos rumos a nossa sonoridade, faz uma a pesquisa com instrumentos muito fortes em nossa cultura como a viola caipira e o acordeom, inserindo-os em arranjos inéditos em obras regionais e em composições que vão da música brasileira ao jazz mundial.

 

Serviço: Outras informações sobre o Festival Jazz e Viola podem ser obtidas pelo telefone 9202-5633. O Centro Cultural José Octávio Guizzo fica na Rua 26 de Agosto, 453, entre a Calógeras e a 14 de Julho. A entrada é franca.