Governo do Estado de Mato Grosso do Sul

‹ Voltar

Fasp 2019 supera expectativa de público e se consagra como a maior festa multicultural da América do Sul

Campo Grande (MS) – Em Corumbá, no coração da América do Sul, mais de 50 mil pessoas participaram do 15° Festival América do Sul Pantanal. Foram quatro dias (14 a 17 de novembro) de intercâmbio cultural entre o público e os artistas da América do Sul e do pantanal sul-mato-grossense, recheados de atrações nacionais, regionais e internacionais. 

 

“O Festival América do Sul Pantanal foi um verdadeiro sucesso. Foram mais de 50 atrações nos mais variados segmentos de cultura, como música, artesanato, teatro, dança, circo, literatura, cinema e muito entretenimento”, disse a presidente da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul (FCMS), Mara Caseiro.

 

 

 

 

Na área de artesanato, o Pavilhão dos Países trouxe a arte do Peru, Argentina, Venezuela, Paraguai, Bolívia e Colômbia, além de lindas peças dos nossos artesãos do Estado. O artesanato corumbaense foi especialmente contemplado, com um pavilhão especial para abrigar as pelas produzidas pelos artesãos locais.

 

O Pavilhão Mostra MS trouxe produtos dos empreendedores da área de economia criativa do nosso Estado; o estande da Literatura recebeu as instituições literárias de MS para lançamentos de livros, declamações, divulgação e comercialização de suas obras; na tenda Saberes Indígenas foram comercializados artesanatos indígenas e realizadas atividades culturais com a participação das etnias de Mato Grosso do Sul e na Galeria das Artes Visuais a contemporaneidade marcou presença nas mais diferentes linguagens plásticas. 

 

A programação de cinema contemplou todos os públicos e idades, com destaque para o filme Bacurau, que conquistou o Prêmio do Júri no Festival de Cannes deste ano. As exibições de filmes infantis, nacionais, regionais e produções de países sul-americanos aconteceram na na Praça CEU Heloisa Urt e no Centro de Convenções do Pantanal – Porto Geral.

 

 

A Tenda Rio Paraguai recebeu apresentações artísticas dos Estudantes das Escolas Municipais e Estaduais de Corumbá e Ladário com propostas que contemplam diferentes países da América do Sul, assim como com apresentações de diferentes linguagens artísticas.

 

Para os amantes do teatro e do circo, o Fasp trouxe o espetáculo Sierra Quiabó, do grupo boliviano Voyeur Teatro; “H2OBOOM”, do Uruguai; Banana, do Circo Le Chapeau, de Dourados/MS; Uma Moça da Cidade, de Campo Grande; Navegantes, do Grupo Florescer do Cerrado, também da Capital; Animo Festas, que conta a história do palhaço Klaus (Brasil).

 

A dança surpreendeu com espetáculos de altíssima qualidade, como Lub Dub, do Balé Castro Alves, da Bahia e Tango Sin Fronteras, da companhia de mesmo nome, além do douradense Delírios – Traços Dançantes em Lídia Baís, com Társila Bonelli.  

 

A gastronomia também teve espaço no Lounge Gastronômico com a Cozinha Show, que nesta edição deu uma atenção especial à carne de jacaré com workshops de chefs renomados do Estado. A proposta da Cozinha Show teve como temática “a nova Gastronomia do cerrado”, uma nova gastronomia sul-mato-grossense.

O já tradicional Quebra-Torto com Letras, realizado no Moinho Cultural, reuniu escritores, estudantes e público em geral proporcionando o contato direto com escritores nacionais e regionais, produtores culturais, artistas e pesquisadores de temas relacionados a cultura e a história da América Latina. Os convidados deste ano foram Noemi Jaffe, Mara Calvis, Danielle Barbosa Santos Ferreira, Lucilene Machado, Fabian Severo, Férrez, Samuel Medeiros, Nelson Urt e Marcelo Silva de Oliveira.

 

Também foram ministradas oficinas de arte e cultura, como as de artesanato em fibra vegetal salsaparrilha e aguapé; de videoclipe, fotografia de paisagem, de cinema, de brinquedos ópticos; de passinho, de narrativas fantásticas, de viola de cocho, de andores de São João, de tambores africanos, de observação de aves, de teatro e circo e de cidadania, tudo de graça.

 

As apresentações musicais foram as que contaram com maior público, com os shows principais de artistas nacionais, como Zezé di Camargo e Luciano; Diogo Nogueira; Paralamas do Sucesso e Lucy Alves; os shows de abertura com artistas da terra e a apresentação especial da Orquestra de Instrumentos Reciclados de Cateura, Paraguai.

 

Feliz com o resultado de muito trabalho e organização, Mara ressaltou o empenho do governador Reinaldo Azambuja em manter o festival mesmo com a crise econômica que atravessa o país. “Graças ao olhar sensível do governador pela importância da cultura para as pessoas e toda a sociedade, ele decidiu realizar esta festa linda que foi um verdadeiro banho cultural”.

Além da Fundação de Cultura, foram realizadores do Fasp 2019, o Governo do Estado e a Prefeitura de Corumbá. Apoiaram o evento: Caixa Econômica, Governo Federal, Energisa, Vale, Abrasel, Sebrae, Senac, Sanesul, MSGÁS, Iphan e Lei de Incentivos à Cultura. “Agradeço a todos os apoiadores e a toda equipe da produção que trabalhou muito para que tudo saísse o melhor possível para a população”, disse Mara Caseiro no último dia do festival.

 

Juntamente com toda a equipe, a presidente e o diretor-geral da FCMS, Max Freitas, subiram ao palco, onde agradeceram os participantes e colaboradores do evento. “Nosso trabalho foi feito especialmente para todos desfrutarem da nossa rica cultura regional e de todos os países que se fazem presentes como a Argentina, Bolívia, Paraguai, Peru e Venezuela”, finaliza Mara.