Governo do Estado de Mato Grosso do Sul

‹ Voltar

Começa hoje Curso de Dança de Salão direcionado para pessoas tímidas no Centro Cultural

  • 07 abr 2015
  • Categorias:Geral

danca-salao

Campo Grande (MS) – O Centro Cultural José Octávio Guizzo, unidade da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, abre por meio do Programa Educativo as inscrições para uma nova turma de Dança de Salão, direcionada para pessoas a partir de 15 anos e que sejam tímidas. As aulas serão ministradas pelo professor, coreógrafo e pesquisador da cultura popular Davi Rosendo, sempre às terças e quartas-feiras, das 18h30 às 19h30.

As aulas iniciam-se na próxima terça-feira (7 de abril) – sendo a primeira gratuita e acontecerão até o dia 30 de junho. A mensalidade tem o valor de R$ 70,00. As inscrições podem ser feitas por casal ou individualmente. Não há necessidade de ter par para inscrever-se no curso.

A proposta da oficina é oferecer um curso com metodologia apropriada para pessoas que se considerem com dificuldade de aprendizado ou com um nível de retraimento que seja obstáculo à sua entrada e participação em aulas de dança e arte. O objetivo da oficina assim é constituir-se em uma metodologia específica de ensino de dança, baseada no respeito ao tempo individual e às características singulares de aprendizado de cada aluno.

“Cientes de que a timidez, o retraimento e as dificuldades especiais de aprendizado de cada aluno são provenientes da história de vida de cada um, a metodologia proposta tem por base jamais a condenação das dificuldades dos alunos, porém a aceitação e o acolhimento das dificuldades de cada um como ponto de partida para o aprendizado, um aprendizado que conduzido com respeito pode levar a grandes conquistas por parte de cada aluno”, explica o professor.

Na oficina os alunos aprenderão Forró, Samba de Gafieira, Chamamé, Vanerão, Bolero e Tango a partir de uma metodologia onde as dificuldades particulares de cada aluno serão trabalhadas lentamente, de modo a conduzir a sua superação ao longo do tempo, porém sempre tendo como parâmetro o tempo próprio de cada aluno. Como resultado, a oficina espera assim abrir um canal de inclusão a pessoas que por uma razão ou outra ainda não tiveram acesso nem um contato mais duradouro com a dança e com arte em geral.

O professor Davi Rosendo leciona Dança de Salão desde 2006. Foi aluno do Centro de Dança Cláudio e Dinorá, aprendeu Tango em Buenos Aires na Argentina, foi integrante do Grupo Bailah (Grupo Coreográfico de Dança de Salão da UFMS), participou do curso de Formação de Professores de Dança de Salão na Escola de Dança e Centro Cultural Jaime Arôxa, no Rio de Janeiro em 2013, e atua também como coreógrafo. Ministrou diversas oficinas de dança em 2014 no Centro Cultural José Octávio Guizzo. É formado em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) e Mestrando em Sociologia pela Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD).

Estilos

Forró: Designação popular dos bailes frequentados e promovidos por migrantes nordestinos nos estados do Rio de Janeiro e São Paulo, o Forró teve origem nas festas oferecidas pelos ingleses aos empregados que construíam estradas de ferro. Trazido ao sul por Dominguinhos e Luiz Gonzaga, o ritmo foi para São Paulo nos anos 60 e hoje é bastante difundido por diversos intérpretes como os grupos Falamansa, Rastapé e Trio Virgulino. É um dos ritmos mais dançados por todas as faixas etárias que podem optar por uma dança coladinha ou pela execução de diversos giros e figuras que o Forró moderno incorporou.

Samba de Gafieira: Estilo de dança de salão que se originou no Rio de Janeiro oriundo do Maxixe, o ritmo começou a ser praticado no início do século XX. Uma dança muito admirado pela mistura de gingado, proteção, elegância e condução do cavalheiro e pela beleza de ganchos de perna da dama.

Chamamé: É um estilo musical tradicional da província de Corrientes na Argentina, apreciado também no Paraguai e em vários locais do Brasil e em outros países. Em sua origem se integram raízes culturais dos povos indígenas guaranis, dos colonizadores paraguaios e até de imigrantes brasileiros. É considerado um dos ritmos decorrentes da amálgama entre a cultura guarani e europeia, ao lado da polca paraguaia e guarânia.

Vanerão: É um tipo de dança típica do Rio Grande do Sul. Assim como a vanera e a vanerinha, tem origem alemã e se desenvolveu no Rio Grande do Sul. Seu ritmo foi influenciado pela habanera, originada em Havana (Cuba) da mesma forma que vários outros encontrados nos países hispano-americanos, como o tango, o samba-canção e o maxixe. Foi trazida para Mato Grosso do Sul pelos gaúchos que para cá chegaram em busca de novas fronteiras agrícolas no século XX. Hoje pode-se encontrar grupos famosos responsáveis pelo ritmo na região Centro-Oeste.

Bolero: Consta que seu nome deriva da palavra espanhola volero (devolar = voar) ou das bolinhas que eram usadas presas nos vestidos das dançarinas ciganas (boleras), que pareciam voar enquanto dançavam.Quanto à dança, sua origem é discutida: uma versão diz que se surgiu na Inglaterra passando pela França e Espanha com nomes variados (dança e contradança); outra versão, diz que veio do fandango – dança espanhola de origem árabe – muito popular, desde o século XVII e que fez sucesso no Brasil entre os séculos XVIII e XIX. O Bolero é uma dança agradável e elegante com música romântica com letras sentimentais e por isso permanece até nossos dias.

Tango: É um estilo musical e uma dança proveniente do Cone Sul da América do Sul. Em meados do século XIX, o tango nasceu de uma mistura de vários ritmos dos subúrbios de Buenos Aires, mas não se limitou às zonas baixas, principalmente depois que a dança teve sucesso na Europa. É uma dança elegante e criativa que permite encenar histórias envolventes entre o casal. Hoje, o Tango vive não como o fenômeno de massas que o engendrou, mas sem nenhuma dúvida como elemento identificatório da alma portenha e em permanentes evocações espalhadas por todo o mundo.

Serviço

As vagas são limitadas e as inscrições podem ser realizadas de terça a sexta-feira, das 8h às 18 horas na secretaria do Centro Cultural, que fica na Rua 26 de agosto, 453 ou diretamente com o professor no dia da aula. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 3317-1795.

Contato para a Imprensa:

Davi Rosendo: 8147-9450/9217-8519

Jefferson Benicio