Governo do Estado de Mato Grosso do Sul

‹ Voltar

Com investimentos do FIC, 13º Festival de Cinema do Vale do Ivinhema é realizado com sucesso

  • 28 nov 2016
  • Categorias:Geral

 

26-11_-festival-cinema-ivinhema_-premiacao_233-2

Cinema Novo de Erik Rocha é o grande vencedor do Festival. Foto: Elis Regina

Campo Grande (MS) – O documentário Cinema Novo, do cineasta Erik Rocha, foi o escolhido pelo júri, como o melhor filme do já tradicional festival de cinema de Mato Grosso do Sul. A noite de premiação, que aconteceu no sábado, 26, no Galpão das Artes da Fundação Nelito Câmara em Ivinhema, foi marcada pelas emocionantes homenagens ao poeta Manoel de Barros e Dona Bené, e pela festa das torcidas organizadas dos curtas-metragens que disputaram a mostra competitiva. O evento recebeu recursos do FIC (Fundo de Investimentos Culturais) da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul.

 

Além de Cinema Novo, que levou, ainda, melhor montagem, foram premiados os filmes Campo Grande, de Sandra Kogut, com júri popular e ator coadjuvante Ygor Manoel, e Martírio, de Vincent Carelli com o especial do júri. O presidente do júri, Sérgio Pedrosa, argumentou que as escolhas foram pautadas pela reunião de qualidade, inventividade e domínio da linguagem das obras. O melhor filme recebeu a premiação de cinco mil reais.

 

Na competição de curtas, a mais aguardada do evento, que investe na formação de jovens realizadores, foi consagrado o filme De Repente, da escola Nova Geração de Ivinhema. Em segundo lugar, ficou o filme Porta-retratos, da escola Reynaldo Massi da mesma cidade e a terceira colocação foi para O Outro Lado, da escola Filinto Muller de Angélica. Os premiados receberam  mil reais o vencedor, 600 reais,  o segundo colocado e 400 reais,  o terceiro.

26-11_-festival-cinema-ivinhema_-premiacao_105-1

Foto: Elis Regina

A presidente da Fundação de Cultura de MS, Andréa Freire reforçou  a importância  que o festival do Vale do Ivinhema adquiriu nos últimos anos,  “é hoje o  evento mais importante do cinema no Mato Grosso do Sul. Há 13 anos é feito de maneira muito peculiar pela Fundação Nelito Câmara com muito cuidado e empenho, principalmente do Ricardo Câmara que está a frente dessa construção.  Esse Festival deixa um legado imenso para as cidades que participam,  nesse ano especialmente Angélica,  bem como  a mobilização da juventude local de  como eles se envolvem participando das suas etapas de construção, isso é muito valioso”, destacou Freire.

 

Para o  curador da mostra de longas, Joel Pizinni,  com o crescimento do festival, “Ivinhema é um polo de resistência do audiovisual, indo na contramão dos tempos sombrios pelos quais passa a cultura e a arte no Brasil”.

26-11_-festival-cinema-ivinhema_-premiacao_007

Fundação Nelito Câmara difunde e fomenta o cinema no vale do Ivinhema. Foto: Elis Regina

O idealizador do evento, Ricardo Câmara diz se sentir orgulhoso de ter sido o primeiro projeto aprovado pelo FIC nesta atual gestão do Governo, “esse ano o festival foi financiado integralmente pelo FIC e isso o tornou mais fortalecido e queremos que a cada ano se fortaleça ainda mais”, frisou Câmara. “O Festival está  em sintonia com os o objetivos do FIC que é  garantir o acesso da população a todas as regiões a arte e a cultura no Estado”, ressaltou Ricardo Maia, superintendente do FIC.

 

Abaixo, a lista do vencedores:

Mostra Competitiva de Longas

Melhor filme- Cinema Novo

Prêmio especial do júri- Martírio

Melhor filme do júri popular- Campo Grande

Diretor- Camilo Cavalcante- A História da Eternidade

Roteiro- Hilton Lacerda e Ana Carolina Francisco- Big Jato

Montagem- Renato Vallone- Cinema Novo

Fotografia- Beto Martins- A História da Eternidade

Atriz- Julia Bernat- Aspirantes

Atriz coadjuvante- Karine Teles- Aspirantes

Ator- Cláudio Jaborandy- A História da Eternidade

Ator coadjuvante- a criança Ygor Manoel- Campo Grande

Técnico de Som- Valéria Ferro- Big Jato

Desenho de Som- Marcito Vianna- Guerra do Paraguay

 

Com informações de Luana Salomão.