Governo do Estado de Mato Grosso do Sul

‹ Voltar

Com hotéis lotados, Festival de Bonito deve movimentar mais de R$ 10 milhões na edição 2019

O Festival de Inverno de Bonito começa oficialmente nesta quinta-feira (25), mas há muitos dias os hotéis do município já atingiram lotação máxima. A expectativa do comércio e do setor do turismo também é a melhor possível.

De acordo com o secretário de Turismo de Bonito, Augusto Mariano, a cada real investido pelo Governo do Estado nessa época do ano, há retorno de cinco a seis reais para o município.

A prefeitura estima que haja movimentação econômica de R$ 10 a R$ 12 milhões durante os quatro dias de programação.

“São cerca de 30 a 40 mil pessoas que vão dormir, comer, comprar algum souvenir. Isso movimenta toda a cadeia produtiva do turismo”, explicou.

Para ele, isso se deve ao planejamento estratégico e divulgação antecipada do evento pela FCMS (Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul), tanto em nível local quanto na imprensa nacional.

“O Festival tem importância fundamental para nós, principalmente porque ele nos coloca na mídia positiva antes, durante e depois do evento”, diz o secretário, acrescentando que esta divulgação atrai principalmente turistas de países vizinhos, como Bolívia e Paraguai, além de São Paulo e, claro, os turistas das cidades vizinhas. 

Esta foi uma das primeiras preocupações da presidente da Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul, Mara Caseiro. Ela afirma que divulgação antecipada das atrações do Festival proporciona oportunidade para que o turista se organize com antecedência.

“Com isso, quem ganha é o município de Bonito, é o setor hoteleiro que começa a receber turistas antes da festa, pessoas que chegam à cidade em busca das belezas naturais da cidade, e todo o comércio, restaurantes, vendedores de artesanato, enfim, toda a cadeia. A economia de Mato Grosso do Sul é beneficiada como um todo com o investimento do Governo nesse evento”, detalhou.

No mesmo período do ano passado, a taxa de ocupação hoteleira foi de 67%, melhor julho dos últimos quatro anos. Para este ano, em que o Festival de Inverno de Bonito entra em sua edição comemorativa de 20 anos, as expectativas são ainda melhores.

Segundo o diretor do grupo Zagaia, Guilherme Poli, o resort está com 100% da sua ocupação reservada para o período. O final do mês de julho, época escolhida pela Fundação de Cultura para realização do evento, é perfeita tanto para o turista quanto para o trade, em sua opinião.

“Isso porque é uma época em que o movimento nos hotéis geralmente começa a cair. Sem o Festival, nossa ocupação neste período seria de 40%”, explicou, ressaltando que a divulgação antecipada da programação modificou esse cenário.

O empresário acaba de criar, junto com o trade turístico, o Instituto de Desenvolvimento de Bonito, para realizar ações de marketing. “É a classe se unindo em torno do mesmo objetivo. A cidade se transforma com o Festival”, completou.

Para a presidente do Bonito Convention & Visitors Bureau, a empresária Tânia Van der Sand, a expectativa para o Festival deste ano é de 100%.

“O evento já é consagrado e as pessoas se programam com antecedência”, afirmou, elogiando a divulgação antecipada da programação neste ano.

Bonito, segundo ela, depende do Festival para movimentar a economia, principalmente neste período, considerado baixa temporada.

“Quanto antes for divulgada a programação, mais tempo os turistas têm para se programar”, reiterou, reforçando que o setor está fazendo um esforço conjunto para manter os preços de hospedagem acessíveis para o turista que visita a cidade para participar do Festival.

Conforme inventário feito em maio pelo Bonito Convention & Visitors Bureau, há 6.559 leitos disponíveis em Bonito, com preços disponíveis para todos os bolsos.

A presidente da Fundação de Cultura do Estado ressaltou que o Festival de Inverno de Bonito deste ano está com um formato mais enxuto, mas não deixou de contemplar todos os seguimentos culturais e envolver a comunidade e a classe artística de Bonito.

Também é uma preocupação da titular da pasta manter a interiorização e democratização da cultura. Desde o último dia 20, o assentamento Guaicurus e o Distrito Águas do Miranda estão recebendo atrações de dança, cinema, teatro e oficina, entre outras atividades.

“Queremos manter esse espírito do Festival. Não é apenas um evento para turista ver. A população da cidade, desde aquela que mora no centro, até aquele que mora lá no assentamento, vai ter acesso aos espetáculos”, detalhou.

O governador Reinaldo Azambuja também reforçou a força do Festival de Inverno de Bonito como alavanca econômica não apenas para o município, mas para todo o Estado.

“Manter os festivais é uma preocupação do Governo, manter isso como atividade econômica. Você movimenta o comércio, o setor de hotéis, todo o complexo de pessoas que trabalha pelo desenvolvimento. E a festa tem ajudado a trazer turistas para o Estado, então é um evento muito importante para o Mato Grosso do Sul”, afirmou Azambuja. (Com informações do Portal do Governo do Estado de MS).