Governo do Estado de Mato Grosso do Sul

CCJOG – Ignês Maria Luíza Corrêa da Costa

 

Nasceu em Cuiabá no ano de 1907 e faleceu em Campo Grande em 1985. Começou a pintar ainda criança e aos 13 anos de idade contrariou a mãe, que impunha as aulas de piano, optando definitivamente pela pintura.

A maior parte de sua obra retrata muitos aspectos já desaparecidos de Cuiabá, cidade onde viveu a maior parte da vida, assim como: Igrejas, procissões, costumes populares, segredos e angustias da população. Utilizando essa temática era mestra na composição de retratos, cuja arte passou a seus alunos.

Alguns de seus quadros da década de 30 refletem o drama dos oprimidos, dos desabrigados da terra. Rostos sem feições, pés deformados, corpo vergado na luta pela sobrevivência, são indícios da influencia de Cândido Portinari, de quem Ignês teve a honra de ser aluna, assimilando um pouco do cubismo e do expressionismo. Outras obras da década de 50 revelam paisagens impressionistas da infância em Campos do Jordão, festas populares, sorrisos de crianças, de jovens, de mulheres, tudo usado como pretexto para a arte.

Cada quadro representa uma época da vida da artista. Casamentos, festas, árvores que o tempo destruiu, um velho carrossel, tudo era fruto de um passado e da memória que só Ignês saberia explicar com exatidão.

Mesmo tendo participado de muitas exposições individuais, coletivas, de ter recebido inúmeros prêmios e de ter visto suas obras no acervo de importantes museus, ela manteve sempre a sua postura humilde.