Governo do Estado de Mato Grosso do Sul

‹ Voltar

Capital recebe o festival “IPêrformático – capítulo II: E se não houver luz no fim do túnel?”

Campo Grande (MS) – Acontece de 5 a 15 de abril o festival “IPêrformático – capítulo II: E se não houver luz no fim do túnel?” que será composto de performances, vídeos, oficinas, debates, exposições e palestras com artistas locais e de diversos estados sendo realizado gratuitamente no Centro Cultural José Octávio Guizzo (CCJOG), Museu de Arte Contemporânea (MARCO), Museu da Imagem e do Som (MIS), Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) e em diversos locais da capital.

O festival é organizado pelo coletivo IPêrformáticoO e foi contemplado pelo Fundo de Investimentos Culturais (FMIC) em 2018 pela Secretaria de Cultura e Turismo de Campo Grande (SECTUR) e tem o apoio da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul (FCMS) e da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS).

O evento tem como objetivo promover a arte contemporânea através da linguagem da performance a partir da formação de artistas e de público, diálogos e intercâmbios, fomentando a arte contemporânea local dentro do contexto cultural sul-mato-grossense unindo-o ao cenário nacional.

“O Festival IPêrformático – capítulo II: E se não houver luz no fim do túnel? é a continuação e ampliação da  primeira edição. Com ele possibilitamos um movimento positivo a nosso cenário artístico e cultural não só para Campo Grande como para nosso estado que tem sua cultura e artes tão ofuscados dentro do contexto nacional”, explica Alice Yura, uma das organizadoras do evento.

“Trazemos o fortalecimento e incentivo à produção contemporânea de arte e possibilitamos uma troca ativa com o público e o meio cultural campo-grandense. O nome do festival vem da união, IP (número de identificação), o sufixo hiper, a palavra performance e nosso símbolo regional a árvore ipê; trazendo forma  e  conteúdo, conceito e estética fortalecendo e engajando nossa produção local com qualidade e originalidade dentro do nosso contexto cultural”, conta Alice.                                                                        

Confira a programação:

PERFOMANCES

5 de abril (sexta-feira)
MARCO (Museu de Arte Contemporânea)
19 horas – Performance Mulheres de Luz do Coletivo Artístico do Movimento Mulheres pela Democracia
Classificação: 18 anos

19h30 – Abertura do festival com a palestra da artista Virginia de Medeiros (BA/SP) – Poéticas da assimetria.
Classificação: 18 anos

06 de abril (sábado)
12 horas – Praça Ary Coelho
Caminhos – Uma Intervenção Urbana – Cia Enviezada (RJ)
Classificação livre

07 de abril (domingo)
10 horas – Parque do Sóter / Praça Ary Coelho / Relógio da Calógeras / Praça Aquidauana / Praça Cuiabá
Performance Virá – Maíra Espíndola (MS)
Classificação livre

08 de abril (segunda-feira)
19 horas – Centro Cultural José Octávio Guizzo
Performance ANHANGÆ – Dudx (MS/SP)
Classificação: 18 anos

 09 de abril (terça-feira)
15h30  – Centro Cultural José Octávio Guizzo
Performance LambeTrans – Leona Jhovs (SP)
Classificação livre

18h30 – MARCO (Museu de Arte Contemporânea)
Performance Anatomia Feminina – Alice Yura (MS)
Classificação: 18 anos

10 de abril (quarta-feira)
12 horas – Rua 14 de julho esquina com a Cândido Mariano
Performance Corpus Presente – Grupo Maracangalha (MS)
Classificação livre

11 de abril (quinta-feira)
15 horas – Calçadão Camelódromo
Performance Manicure Política – Lyz Parayzo (RJ)
Classificação livre

12 de abril (sexta-feira)
18 horas – UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul)
Aula-performance: Bem-vindo à aula Vlad – Thiago Moraes (MS)
Classificação: 18 anos

13 de abril (sábado)
20 horas – Galeria de vidro – Plataforma Cultural
Performance B.U.N.I.T.A [CE] – Estela Lapponi (SP)
Classificação: 18 anos

14 de abril (domingo)
17 horas – MARCO (Museu de Arte Contemporânea)
Performance EXODUS Perto da Flor – Patricia Saravy (PR/MS)
Classificação:18 anos

15 de abril (segunda-feira)
20 horas – Sarau de Segunda – Praça dos Imigrantes
Por quê Ele vive posso crer no amanhã? – Estefânia Martins (MS)
Classificação livre

EXPOSIÇÕES – Classificação 18 anos

5 a 15 de abril  – MARCO (Museu de Arte Contemporânea) Exposição: E se não houver luz no fim do túnel?

8 a 15 de abril – Centro Cultural José Octávio Guizzo 
Exposição No Princípio Era Nada – Galeria Wega Nery
Exposição Estar a Par – Sala Ignês Corrêa da Costa

DEBATES

09 de abril (terça-feira)
MARCO (Museu de Arte Contemporânea)
20 horas – Se a Arte Fosse Travesti?

13 de abril (sábado)
MIS (Museu de Imagem e Som)
16 horas – Acessibilidade e o corpo intruso (16h)

14 de abril (domingo)
MARCO (Museu de Arte Contemporânea)
16 horas – Meu corpo não é público

FILME

13 de abril (sábado)         
MIS (Museu da Imagem e do Som)
15 horas – Exibição do filme ProfanAÇÃO

OFICINAS

Centro Cultural José Octávio Guizzo
Oficina Afete-se (20 pessoas)
08/04 a 12/04 (9h às 11h)
Ministrante: Alice Yura (MS)
Classificação: 18 anos

Oficina Composição Criativa Através de Vários Pontos de Vistas – (28 pessoas)
09/04 e 10/04 (10h às 13h)
Ministrante: Zé Alex (Cia Enviezada – RJ)
Classificação: 18 anos

Workshop Poéticas Corporais: criando personagens através de processos individuais (20 pessoas)
10/04 (14h às 17h)
Ministrante: Dudx (SP)
Classificação:18 anos

As  oficinas têm vagas limitadas e as inscrições podem ser feitas de terça a sexta das 8 às 22 horas e sábado das 8 às 18 horas no Centro Cultural José Octávio Guizzo que fica na rua 26 de Agosto, 453 – Centro. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 3317-1795.

Contato para a Imprensa:

Lucas Arruda: 99267-0868
Foto: Raphael Feitoza