Governo do Estado de Mato Grosso do Sul

‹ Voltar

Campo Grande 122 anos: Marilena Grolli relembra ações culturais importantes para o fomento da artes visuais na Capital

Campo Grande (MS) – Nos últimos 15 anos o Núcleo de Artes Visuais da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul promoveu diversas ações culturais significativas para o fomento do setor em Campo Grande. Foram realizadas  exposições, oficinas, palestras, visitas nos ateliês dos artistas, visitas monitoradas e salões de arte. A galeria Território Ocupado, há três anos rebatizada como Galeria Jorapimo, proporcionou inúmeras trocas e diálogos com grandes nomes das artes visuais em âmbito nacional e internacional. Nos 122 anos de Campo Grande, a coordenadora do Núcleo de Artes Visuais da FCMS, Marilena Grolli, destacou algumas atividades que fizeram história no desenvolvimento e difusão das artes na Capital.

O Salão de Arte de MS aconteceu em 6 edições anuais num circuito formato nacional. A primeira edição foi realizada em 2009 e a última em 2014. Com centenas de inscrições e 120 artistas expositores, o público pôde participar de várias rodas de conversa e workshops. O objetivo da iniciativa foi ampliar o diálogo com a produção atual das artes visuais e estimular a reflexão sobre a produção cultural brasileira, contribuindo com a promoção, difusão e expansão da diversidade da linguagem artística e cultural, além de possibilitar a compreensão das múltiplas linguagens e expressões, não se limitando somente às de caráter local.

Por meio de editais foram selecionados artistas de diversas linguagens e que participaram de exposições no projeto território Ocupado e 3D, Parede, Galeria Wega Nery e Galeria Jorapimo. Nelas foram homenageados artistas que contribuíram para o desenvolvimento das artes visuais de MS. Uma das exposições que foi destaque em março de 2014 no projeto Território ocupado e 3D foi a mostra “Leque de Cores”, que levou ao público obras de mulheres que se dedicaram e se destacaram no cenário das artes plásticas de Mato Grosso do Sul. Nela foram exibidas obras as artistas Gabi Dias, Karla Mattos, Lucia Monte Serrat, Thais Lino e Venise Melo. A mostra tratou do universo feminino em diferentes poéticas formando um “Leque de Cores” e sensibilidade.  A simbologia feminina e atrativa acabou por ficar impressa neste objeto, ao mesmo tempo rico em significado e utilidade. Partindo dessas referências essa mostra, evidenciou o olhar feminino que surge por um “Leque de Cores” e formas onde cada artista expôs sua força, emoção e ousadia através da arte. 

Em 2007 e 2008, na Galeria Jorapimo a mostra Espelho das Artes Plásticas ampliou o diálogo com a produção atual das artes visuais e estimulou a reflexão sobre a produção cultural brasileira. Com formato de mostras temporárias que tinha a duração de 2 meses, o Núcleo das Artes Visuais da FCMS promoveu visitas monitoradas e atividades socioeducativas por meio de editais de inscrição para artistas em nível nacional, fomentando as artes visuais de artistas da federação. Esta exposição contou com obras de artistas convidados e do acervo da Fundação de Cultura de MS teve como objetivo valorizar as mais diversas manifestações das artes plásticas e propiciar a difusão e criação de obras além de identificar a real produção artística de MS. O projeto tornou visível a produção plástica artística, das diversas regiões de Mato Grosso do Sul, por meio de um painel comemorativo dos 30 anos da divisão do Estado e que teve como proposta selecionar em cada região, uma representação das artes plásticas.

O projeto Espelho das Artes Plásticas percorreu e mapeou trabalhos de 240 artistas em 8 pólos municipais. Ele gerou uma ação coletiva com artistas mais distantes do centro do Estado e foi encerrado com uma exposição coletiva com 45 trabalhos na Capital, que premiou coletivamente 15 artistas dos polos inscritos.

Os artistas expositores foram Agilson Franklin (Três Lagoas – MS), Galvão Pretto (Campo Grande – MS), Gilson Pereira (Bonito – MS), Giu Beto (Campo Grande – MS), Iria Siebel (Naviraí – MS), Jamil Canavarros (Corumbá – MS), Jeudson Araújo (Ponta Porã – MS), Jonas Santana (Salvador – BA), José Teodoro (Dourados – MS), Laila Morgana (Salvador – BA), Marilena Grolli (Campo Grande – MS), Mirian Honda (Campo Grande – MS), Luiz Carlos Simões (Nova Andradina – MS) e Terezinha Yamashita (Dourados – MS).                                                                                     

Em abril de 2019 também na Galeria Jorapimo aconteceu a mostra “Lídia”, com obras de 21 artistas inspirados pelo trabalho e pioneirismo de Lídia Bais. A esposição apresentou uma pintura de Lídia Baís e obras de Agnes Rodrigues, Alexandra Camillo, América Cardinal, Ana Luiza, Antonio Lima Apres, Aveline Karem, Bruno Sandri, Carlos Vera, Don Dolores, Erika Pedraza, Guido Drummond, Jonir Figueiredo, Jussara Stein, Karla Mattos, Lúcia Mont Serrat, Márcia Albuquerque, Maurício Saraiva, Pedro Guilherme, Renato Alencar, Roberto Higa e Tanara Renck.

As ações socioeducativas, como as visitas monitoradas, sempre integraram as atividades das galerias de arte da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul desde sua inauguração em 2006, no projeto Território Ocupado, num trabalho que envolve escolas e instituições, proporcionando visibilidade e fomentando a arte-educação por meio das obras de artes e contato com os artistas expositores. O Núcleo de Artes Visuais da FCMS também promoveu dezenas de orientações técnicas aos artistas e em escolas com roda de conversas, pinturas murais e performance de live paint ao vivo.

Publicado por: Gisele Colombo