Governo do Estado de Mato Grosso do Sul

‹ Voltar

Boca de Cena: Oficinas “De pernas pro ar” e “Teatralidade nas Artes Cênicas” lotam salas do CCJOG

  • 21 abr 2016
  • Categorias:Geral

(Campo Grande-MS) Parte da programação da Boca de Cena – Mostra Sul-mato-grossense de Teatro e Circo, as oficinas do “Diálogos Cênicos” lotaram os espaços do Centro Cultural José Octávio Guizzo (CCJOG), na tarde desta quinta-feira, feriado de 21 abril, com os temas: “De pernas pro ar” e “A Teatralidade nas Artes Cênicas”.

No Ateliê de Artes do CCJOG, a ministrante especialista em Circo, Nicole Rodrigues, do Circo Le Chapeau, ensinou a técnica de parada de mão muito usada no universo circense e também em outras modalidades artísticas. “A oficina trabalha uma técnica específica de um número do Circo, que é a parada de mãos. As pessoas que o fazem são chamadas de paradistas. Mas é também uma técnica base para outras artes como a dança, a capoeira, por exemplo. É uma técnica que se junta com outras possibilidades além do Circo”, explicou Nicole, que é de Londrina-PR, mas mora em Campo Grande e é formada na Escola Nacional de Circo.

A pole dancer Keli Cruz conta que veio buscar na oficina novas técnicas de aperfeiçoamento para a dança. “Percebo que com esses exercícios poderei ganhar mais flexibilidade, força, leveza e equilíbrio. Posturas ideais que busco na minha modalidade. Interessante notar que posso encontrar isso no meio circense”, contou Keli.
 
Ainda no prédio do Centro Cultural José Octávio Guizzo, pouco abaixo dali, na galeria Wega Nery, a oficina “Teatralidade nas Artes Cênicas” trabalhou uma outra técnica, dessa vez misturando força com a imaginação.Deitados no chão e com os olhos fechados, os participantes ouviam a narração do ministrante Michel, mergulhando em seus universos particulares do consciente. Teve até gente que relaxou muito e adormeceu. De repente, suas capacidades foram testadas, e se viram obrigados a se reorganizar, passando de um extremo ao outro do sentimento: tranquilidade, paz, alegria, empolgação euforia, medo, nojo, tristeza, ódio…tudo muito rápido e intenso. Sem pensar. Só sentir e agir. “É uma técnica de tônus muscular, onde você passa de um extremo ao outro, começando totalmente relaxado onde você não consegue organizar seu corpo, de repente precisa criar um movimento repentino e com isso acessando energias que utilizamos no cotidiano. É ótimo para exercitar as artes cênicas onde se precisa ter consciência e acessar tudo o que é preciso ser feito”, detalhou o artista Michel Stevan.
 
Diálogos Cênicos continuam amanhã (22), com os temas: Maquiagem para Teatro – Uma introdução a luz e sombra, das 8h30 às 11h, no Teatro Aracy Balabanian e A Construção da Narrativa no Teatro: Dramaturgia e Trilha Sonora, das 13h às 15h, na sala Conceição Ferreira, do CCJOG.

O Centro Cultural José Octávio Guizzo fica na rua 26 de agosto, 453. Informações no telefone 3317-1792.

Acompanhe toda a programação  do Festival nas redes sociais pela #bocadecena.

Confira a programação completa do Boca de Cena aqui.
 
13001114_1096663490405411_3411831470426736002_n
 
13015484_1096663583738735_8200726705273176392_n
 
13043534_1096663603738733_3334509303742684302_n
 
13062124_1096663570405403_1722502035248529084_n
 
13062317_1096663623738731_4299963186370961842_n
 
13083095_1096663507072076_2045731923162358559_n