Governo do Estado de Mato Grosso do Sul

‹ Voltar

Encontro dos mestres dos saberes, na beira do Paraguai, valoriza a cultura popular do Pantanal

  • 15 nov 2019
  • Categorias:Geral

Campo Grande (MS) – Corumbá e Ladário tem mestres dos saberes reconhecidos pelo Governo Federal, porém a arte que desenvolvem é pouco conhecida ou valorizada. A visibilidade que tanto buscam está sendo possível com a inserção de seus trabalhos nas mais diferentes áreas da cultura durante a programação do 15º Festival América do Sul Pantanal (Fasp).

A realização do I Encontro dos Mestres dos Saberes Populares, na sexta-feira (15) foi uma vitrine para esses artistas, escritores e músicos, a maioria, gente simples, vivendo no anonimato. Por mais de duas horas, eles se manifestaram, contaram suas histórias de vida e a paixão pelo que fazem. Mais do que isso, ganharam o devido respeito como formadores da identidade sul-mato-grossense e fronteiriça.

Exemplos maravilhosos

Com coordenação da professora e antropóloga Vanessa Pereira Rodrigues, uma entusiasta na área, o encontro acabou se transformando em uma roda de conversa na sombra de um flamboyant, no porto-geral de Corumbá, com a presença de bom público. A diretora-presidente da Fundação de Cultura de MS, Mara Caseiro, vivenciou alguns momentos com os mestres e se encantou com as manifestações.

“Vocês são exemplos maravilhosos da nossa cultura popular, com toda essa experiência de vida em defesa de uma identidade que brota através desse Rio Paraguai. Estou realmente apaixonada pelo trabalho e dedicação em favor da nossa arte”, disse Mara.

A diretora-presidente da Fundação fez questão de assistir a dança do siriri, uma interpretação da música Nossa Senhora do Pantanal, do cantor Aurélio Miranda, apresentada por um grupo de dança de Ladário. Também assistiu a uma peça teatral com as personagens Madame Conchita e Madame Celita, duas ciganas interpretadas por Cecília Maria, 73, e Célia Regina, 58. “É um momento muito lindo, parabéns a todos vocês”, comentou Mara Caseiro.

Mestres desconhecidos

A realização do encontro no Fasp 2019 proporcionou, segundo Vanessa Rodrigues, a oportunidade de divulgar o trabalho dos mestres dos saberes e ganhadores do Prêmio Culturas Populares: Sebastião Brandão, Grupo de Teatro Tesouro Pantaneiro e Grupo de Dança Anjo Dourados, de Ladário, e Marlene Mourão (Peninha), Bianca Machado, Benedito Lima e Sérgio Pereira, de Corumbá.

“Apesar de mestres no fazer, são desconhecidos, e uma roda de bate-papo como essa mostra ao ar livre a arte de cada um e qual a contribuição na maneira de cultivar as nossas tradições”, pontua o jornalista e escritor Nelson Urt, 65, presente ao encontro. “Um exemplo é a ativista cultural Bianca Machado, que há 40 anos está à frente da Companhia Maria Mole.”

O Grupo de Teatro Tesouro Pantaneiro, fundado há nove anos, é dirigido por Cecília Maria e conta hoje com 15 artistas, a maioria da terceira idade. “Um evento como esse nos estimula muito, é uma oportunidade da gente ficar conhecida e ter um pouco mais de reconhecimento”, diz dona Cecília.

Carta de Manoel de Barros

Marlene Mourão, a Peninha (ou Marzinha), 74, agradeceu a Fundação de Cultura pela oportunidade de apresentar o seu diversificado trabalho – desenho em quadrinhos, artes plásticas e literatura. Um de suas primeiras obras poéticas, Azul Dentro do Banheiro (1976). Após ter este livro, o poeta maior Manoel de Barros escreveu-lhe uma carta: “Não sei dizer nada de sua poesia, senão que ela me deu um sacolejão e jogou no cansanção e me buleversou, desbarrancou, me floresceu, frutificou e me deixou debaixo de um trilho de trem, onde eu morri de amores por Marzinha…”, diz um trecho.

Também um múltiplo artista das artes populares, o professor e sitiante Sérgio Pereira, 40, afirma que Corumbá e Ladário precisam enxergar seus mestres e valorizados. “Nos falta apelo popular onde vivemos e graças a festivais, como este América do Sul, para fazer nosso trabalho fluir”, diz ele.

Fasp – Realizado com investimento público da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul e patrocínio da Energisa, Vale, Caixa Econômica Federal e Governo Federal, o 15º Festival América do Sul Pantanal (Fasp) acontece entre os dias 14 e 17 de novembro.

Mais imagens na galeria:http://www.festivalamericadosulpantanal.ms.gov.br/i-encontro-dos-mestres-dos-saberes-populares/

Texto: Silvio Andrade

Fotos Fernando Antunes